O Arrebatamento .


      

Escatologia

 

1. Sinais dos Tempos:

 

(Mt. 24. 4 – 14)

  1. Rumores de Guerras
  2. Nação contra Nação
  3. Reino contra Reino
  4. Fomes
  5. Pestes
  6. Terremotos
  7. Falsos profetas enganarão a muitos
  8. Por se multiplicar a iniqüidade o amor de muitos se esfriará.

 

2. Arrebatamento: Arrancados com violência (a força)

 

I. (1Ts 4. 13 – 18) Porque o mesmo Senhor descerá do céu com:

1. Alarido – Choradeira, Lamentação, Desespero (para o Mundo)

2.Voz de Arcanjo – Voz de Liderança, Voz de Gerra, Armagedom, (para Israel)

3.Trombeta de Deus Trombeta do Arrebatamento tocada por Deus (para Igreja)

 

II. 1. (1Ts 4.16) No dia do Arrebatamento, os que morreram em Cristo ressucitarão primeiro. (1Co 15.52) depois nós os que ficarmos vivos seremos Arrebatados.

2. (1Ts 4.17) Lugar de encontro com o Senhor: Nas nuvens, nos ares.

3. (1 Co 15.51 – 54) Teremos um corpo Glorificado: Nem todos dormiremos, (morreremos) mas todos seremos transformados, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressucitarão incorruptíveis e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade.

 

III. Após o arrebatamento haverá dois eventos no céu!!!

  1. Tribunal de Cristo: (1Co 3.12 – 15) O julgamento das obras dos crentes.
  2. Bodas do Cordeiro: (Mt. 25.10) Entraram para as bodas e as portas se fechou.

(Ap. 11.18,19) (Ap. 19.7 – 10)

 

3. (Dn. 9.27) Grande Tribulação durará um período de 7 anos. (Ap. 11.2,3)

 

Os setes selos do Apocalipse

 

1º Selo – Cavalo Branco – (Arco na mão) Saiu vitorioso para Vencer! (Falsa paz)

 Este Cavaleiro representa o Anti Cristo, que reinará durante os sete anos da Grande Tribulação. (Cavalo Branco) representa a falsa paz de três anos e meio (Ap. 6.2)

(2Ts 2.3,4 – 8 – 11) (Dn 9.27) (Ap 13.1 – 8).

 

2º Selo – Cavalo Vermelho – (Espada na mão) Tirar a paz da terra! (Guerra).

Representa a guerra mundial que ocorrerá nos últimos três anos e meio da Grande tribulação… (Ap. 6.4)

 

 

3º Selo – Cavalo Preto – (Balança na mão) Uma medida de trigo por dinheiro!(Fome). Representa a fome que assolará a terra nos últimos três anos e meios da Grande Tribulação. (Ap 6.5,6)

 

4º SeloCavalo Amarelo – (O Inferno o Seguia) O que estava sobre ele se chama morte. (Morte) Representa a morte por espada, fome, pestes e feras da terra nos últimos três anos e meio da Grande Tribulação. .(Ap 6.8)

 

5º SeloAlma debaixo do altar dos que morreram na (Grande tribulação) clamando por justiça, e foi dado a cada um vestes cumpridas e brancas. (Ap 6.10)

 

6º SeloOuviu-se um grande tremor, sol tornou-se negro, lua em sangue, as estrelas caíram sobre a terra, todos os montes e ilhas foram removidos do seu lugar. (Ap 6.12 -15)

 

7º SeloSilêncio no céu por quase meia hora, por causa dos sete anjos com sete trombetas os juízos que viriam sobre a terra. (Ap 8.1)

 

 

As sete trombetas do Apocalipse

 

1º Trombeta – Saraiva misturado com fogo sobre a terra: Foi queimada a terça

parte das arvores e toda erva verde da terra. (Ap 8.7)

 

2º TrombetaLançada uma coisa no mar como um monte ardendo em fogo: Tornou em sangue a terça parte do mar, e morreu a terça parte das criaturas viventes do mar. (Ap 8.8)

 

3º Trombeta – Foi lançado sobre os rios, lagos, e fontes de água uma estrela chamada (Absinto): Tornou amarga a terça parte da água potável da terra. (Ap 8.10)

 

4º Trombeta – Foi ferida a terça parte do sol, da lua e das estrelas: Para que a terça parte do dia não brilhasse, e semelhantemente da noite. Um anjo brada: Ai, ai, ai dos que habitam na terra. (Ap 8.10)

 

5º Trombeta – Uma estrela que caiu do céu, (Anjo) foi lhe dada a chave do poço do abismo: Ele abriu o poço do abismo e subiu fumaça do poço e da fumaça vieram gafanhotos, seu aspecto era semelhante a cavalos aparelhados para guerra, com coroas de ouro, rosto de homem, cabelos de mulher, dentes de leão, tinham couraças de ferro, calda de escorpião, o ruído das asas semenhantes ao de carros quando saem ao combate. Feriu os homens que não tinha o sinal de Deus por 5 meses, eles buscarão a morte mas não morreram; a morte será amarrada por 5 meses, estes espíritos eram liderados por Abadom – (Distruição) Apoliom – (Destruidor). (Ap. 9.1 – 12) (Jd 1.6) (2Pe 2.4)

 

6º Trombeta – Foram soltos os 4 anjos que estão presos junto ao Eufrate: Estavam preparados para matarem a terça parte dos homens da terra, o número dos seu exércitos era de 200 milhões. Cavalos com cabeça como de leões, caudas semelhantes a serpente, e da sua boca saia fogo, fumaça com enxofre, e com isso mataram a terça parte dos homens.

 

7º TrombetaJoão viu os Santos sendo galardoados, e a arca do concerto no céu.

(Ap 11.18)

 

A mulher e o Dragão

 

(Ap 12.1 -17)

1. A mulher vestida do SolSignifica a nação de Israel

2. Debaixo dos pés uma coroa de 12 estrelas – 12 Tribos de Israel

3. Grávida com dores de parto – O clamor de Israel pelo Messias

4. Grande Dragão Vermelho – Significa Satanás

5. Cabeças – inteligência (astúcia) de Satanás, 10 chifres – Seu poder

      6. Sua calda levou a terça parte das estrelas do céu – Satanás levou consigo a terça parte dos anjos dos céus.

  1. 7.      O dragão parou diante da mulher pra lhe matar o filho – Satanás na matança dos inocentes por Herodes tenta matar Jesus.
  2. 8.      Deu a luz a um filho, e foi arrebatado para Deus e para seu trono – Esse filho é Jesus, nasceu cumpriu sua missão e foi assunto aos céus.
  3. 9.      A mulher fugiu para o deserto, onde tinha um lugar preparado por Deus para que ali fosse alimentada por 1260 dias – Esse tempo de 1260 dias retrata os últimos 3 anos e meio da Grande Tribulação, os fieis de Israel vão se opor ao Anticristo e serão perseguidos
  4. 10.   Foi precipitado na terra o grande dragão chamado diabo – O céu se alegra porque Satanás já não é mais uma força nos lugares celestiais, é possível que com a queda de satanás se dê inicio a Grande Tribulação.
  5. 11.   Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro, e não amaram a sua vida até a morte. Esses são os que morreram no período da grande tribulação e não negaram a Jesus.

 

 

  1. 12.   Ouvi uma voz no céu que dizia: Ai dos que habitam na terra e no mar! Porque o diabo desceu a vós e tem grande ira sabendo que já tem pouco tempo. Satanás e seus anjos deixam de ser uma força espiritual nos lugares celestiais, e é lançado na terra pelo arcanjo (Miguel e seus anjos). Sabendo que seus dias estão contados ele persegue Israel e todos os fiéis no período da grande tribulação. (Ap 12.14) Metade de um tempo fala dos três últimos 3 anos e meios da grande tribulação, 42 meses ou 1260 dias.

 

 

A besta que subiu do mar

 

  1. 1.      A besta que subiu do mar é o último governo mundial da história liderado pelo anticristo, consiste em dez reinos que estarão sob o controle do anticristo. O mar representa muitas nações, a besta é o anticristo (2Ts 2.3,4)

ele é classificado como o homem do pecado. Um dos grandes sinais da vinda do anticristo é a Apostasia que sig (gr .desvio ou abandono total da fé.) um espírito de engano se apossará da humanidade através dele.

 

  1. 2.      E vi uma de suas cabeças como feridas de morte, sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta. O anticristo morrerá e vai ressucitar e toda a terra vai se maravilhar diante dele, com esse acontecimento Israel acreditará que ele é o messias, Israel só vai abrir os olhos quando ele mandar adorar a sua imagem. (Dn. 9.27) (Dn.11.36 – 45)

 

  1. 3.      Ele não terá respeito a nenhum deus, nem ao amor das mulheres: (Dn. 11.36 – 45) Alguns acreditam que ele será um Homossexual, ou não terá amor das mulheres porque imitará Jesus em tudo.

 

A besta que subiu da terra

 

  1. 1.      A besta que subiu da terra é o falso profeta, que ajudará o anticristo no seu governo de sete anos, ele preparará o mundo para adora -lo; ele enganará o                                                                                          mundo com sinais. Ap. (13.13,14) O anticristo será a autoridade política, o falso profeta a autoridade religiosa, e a missão do falso profeta será levar a humanidade a adorar a besta.

 

  1. 2.      Foi ordenado que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta. (Ap 13.15) Será baixado um decreto ordenando que fossem mortos os que recusarem a adorar ao anticristo e a sua imagem.

 

            3.    A marca da besta na mão direita ou na testa: (Ap 13.16 – 18) A marca

colocada na mão direita e na testa, para que ninguém possa comprar ou vender

se não tiver o sinal da besta (666) número 6 é o número do homem, e o 

                   número 3 é o de Deus, por isso o número (666).

Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis. (Guilyana/Apocalipse 13:18)

Para fazermos a análise dessa passagem, de forma a melhor compreendê-la à luz do seu contexto de época, vamos utilizar as técnicas de hermenêutica que estavam disponíveis a um judeu do primeiro século, com as quais Yochanan (João) estaria familiarizado.

 

O Contexto

Evidentemente, pelo contexto de Guilyana (Apocalipse), a besta é associada a um reino cujo domínio se estende por todo o mundo. Isso fica bastante evidente pela autoridade sobre o comércio, explicitada no verso 15:

Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta. (Guilyana/Apocalipse 13:15)

Lembrando que a divisão de capítulos foi feita artificialmente muito tempo depois, e que muitas vezes uma mudança de capítulos não significa uma mudança de assunto, vemos que o próprio Yochanan (João) esclarece que Reino é esse, o qual aparece em conexão com a besta e a sua marca:

Um segundo anjo o seguiu, dizendo: Caiu, caiu a grande Bavel, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição. Seguiu-os ainda um terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na fronte, ou na mão,q (Guilyana/Apocalipse 14:8-9)

É quase que consenso entre os estudiosos que a referência a Bavel (Babel) aqui seja uma forma indireta que Yochanan (João) tinha de indicar Roma. Isso se torna evidente quando lemos o relato de Guiliyana (Apocalipse) 18:9-21. Lembremos que o texto foi escrito por Yochanan (João) para um público do primeiro século. Quem é que esse público identificaria como o centro do poder (18:9-10), do mercantilismo (18:11-13) e da riqueza (18:14-15)? Em outras palavras o Anticristo (Besta) será um governante mundial.

E quem perseguia os santos, emissários e profetas de Yeshua (Jesus) (18:20)? A resposta é bem evidente: o Império Romano!

Reparem ainda que existe uma conexão entre a besta e o seu reino, feita através da palavra prostituição. No Tanach (A.T), essa palavra, quando em conexão com um povo/reino (especialmente as Casas de Israel), é sempre usada como sinônimo do abandono dos caminhos e da Torah de YHWH, para cair na rebeldia e na desobediência. Em Hoshea (Oséias), chegamos a ver que é justamente o espírito de prostituição (ie. negação da Torah) que impede a Efrayim de fazer teshuvá (vide Hoshea 5:4).

Portanto, o reinado de Bavel (Roma) é um reinado de rebeldia para com a Torah de YHWH. Mas onde entra a conexão com a besta? Sha’ul [Paulo] identifica à besta como sendo “o homem que se opõe à Torah” (anomia), que é justamente o que representa a prostituição: l

Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não acontecerá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem contrário à Torah, o filho da perdição,q (2 Tess. 2:3)

Portanto, a besta e seu reino têm como propósito deturpar a Torah e os desígnios de YHWH. E vemos que a marca da besta tem conexão com Bavel (Babel), o qual implicitamente se refere a Roma.

A Guematria

O texto nos diz para calcularmos o número da besta. Isto pressupõe o uso da guematria, técnica em que números são associados a palavras, visto que o Alef-Beit (alfabeto hebraico) possui valores numéricos para cada letra. O grande erro da maioria das pessoas é tentarem fazer o cálculo com base no alfabeto latino, quando claramente Yochanan (João), como judeu, utilizou a guematria hebraica.

Já vimos anteriormente que a besta é um homem, e que há uma conexão evidente com Roma. Ou seja, um romano. Curiosamente, analisemos a palavra “Romano” no hebraico _ à luz da guematria _ temos:

Romiti (romano, em hebraico):

Letra Transliterado Valor na Guematria Simples
Reish 200
ו Vav 6
מ Mem 40
י Yud 10
ת Tav 400
י Yud 10
  Total 666

A indicação de Yochanan

Yochanan (João) diz que o número da besta é o número do homem. O que significa isso no pensamento semita? Dentro do Judaísmo, o número 6 é tido como o número do homem, e fica bem claro aqui que é essa a alusão que Yochanan faz.

 

Mas por que número do homem? E o que significa?

O número 6 é o número do dia em que o homem foi criado;

Ao homem foram apontados 6 milênios antes da Era Messiânico;

O homem trabalha 6 dias, e depois vem o Shabat (Sabado).

 

Enfim, o número do homem representa algo que é mundano, em oposição a algo que é Santo. Tradicionalmente, o número 6 também é associado à palavra hebraica Sheker (mentira), pois a soma dos algarismos (desconsiderando dezenas) da palavra sheker é Seis.

 

Letra Transliterado Valor na Guematria Simples
ש Shin 3
כ Kuf 1
ר Reish 2
  Total 6

 

Portanto, o número 6 é associado àquilo que é mundano ou falso _ algo que vem do homem, ao invés de YHWH. Dentro do contexto de Guilyana (Apocalipse), podemos dizer que se trata de um engano, uma fabricação humana _ em oposição à verdade de YHWH. A repetição trina do número 6 expressa uma ênfase neste fato, mostrando que é algo que deve ser levado fortemente em consideração.

Examinando o Tanach (Antigo Testamento)

Um fato que é praticamente ignorado é o de que não é apenas em Guilyana (Apocalipse) que o número 666 aparece. Na realidade, há dois momentos em que ele aparece no Tanach (Antigo Testamento).

Lamentavelmente, a maioria dos estudos acerca da marca desconsidera essa informação, quando na realidade ela é essencial. É inegável que Yochanan (João) tivesse bom conhecimento do Tanach (A.T), e soubesse que os leitores de Guilyana (Apocalipse) também estariam familiarizados com essas duas passagens. Na realidade, quando Yochanan (João)  cita a necessidade de “sabedoria” para o entendimento do número da besta, faz uma referência à necessidade de se sondar as Escrituras para poder entender as próprias Escrituras.

Mantenhamos em mente a informação de que o número da besta é “o número do homem” e, portanto, refere-se a uma construção humana/mundana, algo mentiroso (sheker) e maligno.

A primeira passagem em que encontramos 666 em Divrei HaYamim Beit (2 Crônicas) 9:13, que diz:

Ora, o peso do ouro que se trazia cada ano a Shlomo (Salomão) era de seiscentos e sessenta e seis talentos.

Ora, é inevitável estabelecer uma relação entre Shlomo (Salomão) e a besta através do número 666. Mas que relação seria essa? É simples: Quem foi Shlomo (Salomão) ? Foi o Filho de David, herdeiro do trono e rei de Israel.

Portanto, podemos aqui dizer que o número da besta simboliza que a besta alega ser como Shlomo (Salomão), ou seja, ser filho de David, herdeiro do trono, e rei de Israel.

Mantenhamos em mente, porém, que se trata de uma mentira maligna, e não algo de fato e de direito.

A segunda passagem em que encontramos 666 é em Ezra 2:13 que diz:

Os filhos de Adonikam, seiscentos e sessenta e seis.

Aqui, podemos estabelecer uma interpretação conectando os filhos de Adonikam com o número da besta. Mas, qual a conexão? Ora, os filhos/seguidores da besta são como os filhos de Adonikam. Mas o que significa Adonikam no hebraico?

Adonikam significa literalmente “Meu Senhor se levantou” _ num nível sod de interpretação, podemos dizer que os filhos da besta alegam que ele é “o senhor que se levantou dos mortos”.  (E vi uma de suas cabeças como feridas de morte, sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta.

 

 

As sete taças do Apocalipse

 

Taça – Derramou sobre a terra, e se fez uma chaga má e maligna nos homens que adoravam a besta e a sua imagem.

 

2º Taça Derramou no mar, e se tornou em sangue mar, e morreu toda a vida existente no mar.

 

3º Taça Derramou nos rios e lagos o sangue dos santos e dos profetas, e morreu toda alma vivente das águas doces.

 

4º Taça  Derramou  sobre o sol, e abrasou os homens com calor, e os homens blasfemavam contra Deus, e não se arrependeram para lhe darem glória.

 

5º Taça Derramou sobre o trono do anticristo, e seu reino se fez tenebroso; e os homens mordiam a língua de dor, e blasfemaram contra o Deus do céu.

 

6º Taça Derramou sobre o rio Eufrates; e sua água secou-se, para que preparasse o caminho dos reis do Oriente. Da boca do dragão saíram três espíritos de demônios que fazem prodígios; os quais vão ao encontro dos reis de todo mundo para os congregar para a batalha do armagedom.

 

7º Taça Derramou a sua taça no ar, e saiu grande voz do templo do céu, do trono, dizendo: ´´Está feito“! E houve vozes e trovões e relâmpagos, e um grande terremoto, como nunca tinha havido desde que há homens sobre a terra.

 

 

Batalha do Armagedom

 

Dn. 12. 1-3 (E naquele tempo se levantará Miguel) e haverá um tempo de angustia qual nunca houve; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo e todo aquele que se achar escrito no livro. E muitos dos que dormem no pó da terra ressucitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno.

 

Zc. 14. 1-12 E, naquele dia, estarão os seus pés sobre a Monte das Oliveiras (Jesus) e o monte será fendido pelo meio, e haverá um vale muito grande; e fugireis pelo vale dos meus montes, então, virá o Senhor, meu Deus, e todos os santos contigo , ó Senhor.

 

Jl.  3. 2-17 Congregai todas as nações e as farei descer ao vale de Josafá; e ali com elas entrarei em Juízo, por causa do meu povo e da minha herança. Ajuntai-vos, e vinde, todos os povos em redor, congregai-vos (ó Senhor, fazer descer ali os teus fortes!); movam-se as nações e subam ao vale de Josafá porque ali me assentarei para julgar todas as nações em redor. Multidões, multidões no vale da Decisão! Porque o dia do Senhor está perto, no vale da decisão.

 

Mt. 24. 26-28 Pois se vos disserem: Eis que esta no deserto, não saias, ou: Eis que ele está no interior da casa, não acrediteis. Porque assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra no ocidente, assim será a vinda do filho do homem. Pois onde estiver o cadáver, ai se ajuntarão as águias

 

O julgamento do Anticristo e do Falso Profeta

 

Ap. 19. 11- 21 Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. E seguiam-no os seus exércitos que há no céu em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro. E vi a besta e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que estava assentado sobre o cavalo e ao seu exército. E a besta foi presa e, com ela, o falso profeta, que, diante dela, fizera os sinais com que enganou os que receberam o sinal da besta e adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no ardente lago de fogo e de enxofre. Os demais foram mortos com a espada que saía da boca do que estava assentado sobre o cavalo, e todas as aves se fartaram das suas carnes.

 

A prisão de Satanás

 

Ap. 20. 1- 3 E vi descer do céu um anjo que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-os no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não engane as nações até que os mil anos não se acabem. Depois importa que seja solto por um pouco de tempo.

 

A ressurreição dos fiéis da Grande Tribulação

 

Ap. 20. 4- 5 E vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com cristo mil anos.

Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.

 

O Milênio

 

Ap. 20. 6,7, 20 Bem – aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes (1º ressurreição) não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.

Zc. 14.16 E acontecerá que todos os que restarem de todas as nações que vierem contra Jerusalém subirão de ano em ano para adorarem o Rei, o Senhor dos Exércitos, e para celebrarem a Festa das Cabanas. E acontecerá que, se alguma das famílias da terra não subir a Jerusalém, para adorar o Rei, não virá a chuva. Naquele dia, se gravará sobre as campainhas dos cavalos: “Santidade ao Senhor´´.

 

O julgamento de Satanás

 

Ap. 20. 10 E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo sempre.

 

Juízo Final

 

Ap. 20.11-15 O grande Trono Branco – E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu e não se achou lugar para eles.

E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante do trono, e abriram-se os livros. E abriu-se o livro da vida. E os mortos (2º ressurreição) foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros. (livros das obras) segundo as suas obras.

E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. E aquele que não foi achado no livro da vida foi lançado no lago de fogo.

 

 

 

 

Setenta semanas de Daniel

Dn 9.24 Setenta semana estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para extinguir a transgressão, e dar fim aos pecados, e expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e unir o Santo dos santos. Esta profecia inicia-se no ano 467 a.C ano em que Esdras voltou a Jerusalém e começou a reedificar a cidade(Ed 4.12,13,16; ver 4.11,23) neste caso os 483 anos (69 semanas) terminaram em 27 d.C, que foi o ano que aproximadamente começou seu ministério terreno. Jesus nasceu aproximadamente no ano 04 a.C, e no ano 27 d.C, Jesus tinha 30 anos quanto começou seu ministério.

 

 

 

Para entendermos as setenta semanas de Daniel, nós precisamos multiplicar cada dia dessas semanas por anos.

 

Exemplo:

1º Cada semana são sete anos, automaticamente setenta semanas equivalem a 490 anos!

1 dia da semana – 1 ano

1 Semana – 7 anos

70 Semanas – 490 anos

Com esta explicação entendemos que é só mudar cada dia da semana por ano.

7 X 7 = 49, (7 X 70 = 490). Resumindo o total de setenta semanas serão de 490 anos.

Dn. 9.25 Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até o Messias, o Príncipe, sete semanas (49 anos restauração de Jerusalém e do templo) e sessenta e duas semanas; (434 anos, do fim da restauração de Jerusalém até o início do ministério de Jesus) as ruas e as tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos. Dn 9.26 E depois das sessenta e duas semanas será tirado o Messias e não será mais. Fala da morte, ressurreição e assenção de Jesus.

7 semanas – 49 anos, período restauração de Jerusalém e do templo.

62 semanas – 434 anos, do período do fim da restauração de Jerusalém ao início do ministério terreno de Jesus.

Cumpridas foram 69 semanas (483 anos); restando ainda uma semana (7 anos) que dará início depois do arrebatamento da igreja (Os 7 anos da Grande Tribulação).

 

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s